136-longevidade1

O guaraná pode ser a chave da longevidade

O pó do fruto tipicamente brasileiro é a chave da longevidade de uma cidade que chamou a atenção do Brasil e do mundo

Ficha técnica
Nome científico: Paullinia cupana
Origem: Floresta Amazônica
Parte utilizada: semente
Formas de consumo: pó, barra ou cápsula

O agricultor Milton Martins acorda cedo. Com uma disposição de dar inveja e uma alegria contagiante, já está de pé às 4 da madrugada para começar mais um dia de sua vida. Nascido e criado no município amazonense de Maués, a 267 quilômetros de Manaus, Martins tem uma relação bem próxima com o guaraná, fruto abundante na região. “Tomo o guaraná todos os dias por volta das 5 da manhã”, relata. Ele explica que uma colher de café do pó misturada com água já é mais do que suficiente. “Eu só tomo café da manhã às 9 horas. E sem fome”, diz. Depois de tanto trabalho na roça, seria natural que o aposentado aproveitasse o tempo livre para descansar. Ledo engano. “Quando cheguei aos 60, comecei a fazer natação e atletismo, o que me dá prazer e ânimo”, conta. Depois de iniciar a bateria de exercícios, não parou mais e, mesmo com o avançar das primaveras, nunca deixou de sacudir o esqueleto. Detalhe importante: ele tem 84 anos e sempre manteve o colesterol, a pressão, os triglicérides e o peso em ordem.

Maués, a terra do sempre
O caso de Milton Martins não é único nas cercanias de Maués. Em 2007, a quantidade de pessoas acima dos 80 anos chamou a atenção do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), que investigou se todos os vovôs e vovós que usufruíam dos benefícios estavam mesmo vivos. E não era para menos: a taxa de indivíduos acima dos 80 no Brasil é de 0,5% em relação ao total da população. Na cidade dos longevos, o patamar está em 1%, o dobro da média nacional.
Diversos pesquisadores foram ao território localizado entre os rios Madeira e Tapajós. Depois de uma extensa coleta de dados, instituições brasileiras e estrangeiras se reuniram para avaliar o que fazia o povo daquele município viver mais e melhor. “Não vemos por aqui hipertensão, diabete ou outros males como o Alzheimer”, aponta a psicóloga e gerontóloga Alessandra Negreiros, coordenadora executiva do projeto.
“O caso de Maués é ainda mais significativo quando sabemos que a Organização das Nações Unidas considera idoso o indivíduo de 65 anos em países desenvolvidos e 60 nos subdesenvolvidos”, informa a bióloga geneticista Ivana da Cruz, da Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. E é aí que vem a surpresa: “Quando falamos de comunidades indígenas, como as de Maués, velho é aquele que passa dos 50”, completa Ivana, uma das líderes da iniciativa. E, diante desse fenômeno, os especialistas identificaram o guaraná como um agente da boa saúde centenária.
Os benefícios do guaraná são obtidos com a ingestão de pequenas quantidades. “O consumo recomendado é mesmo só uma colher de café do pó por dia”, atesta o médico gerontólogo Euler Ribeiro, diretor da Universidade Aberta da Terceira Idade, em Manaus. O ideal é dissolver essas partículas, encontradas em farmácias e supermercados, num copo com água e tomar de manhã. Em outros horários do dia, o fruto brasileiro pode causar irritação e até insônia, já que ele é prendado de muita energia.
Outro detalhe importante: os médicos recomendam acrescentar um pouco de açúcar ao preparado para barrar o sabor amargo e uma disposição exacerbada. Isso porque o guaraná tem a capacidade de sacudir os nervos. “Adoçar diminui os efeitos do cafeísmo, a exaltação excessiva do sistema nervoso”, declara Ivana da Cruz.
A doçura também aumenta a taxa de glicose no sangue, que costuma ser baixa na parte da manhã. Mas tome cuidado: o exagero nas colheradas adocicadas acaba com todas as benfeitorias da fruta vermelha. Para aqueles que sofrem com problemas cardíacos, uma visita ao médico nunca é demais. Esse especialista vai definir a porção segura de consumo. Confira agora quais são as principais vantagens desse verdadeiro super-herói da longevidade.

As seis maravilhas do guaraná
As pesquisas realizadas pelos quatro cantos do globo listam os diversos poderes da fruta amazônica:

– Antioxidante
O guaraná é rico em uma substância conhecida como catequina, responsável por impedir o trabalho nefasto dos radicais livres, pequenos vilões que destroem as células do corpo e aceleram o envelhecimento.

– Energético
O astro desta reportagem é carregado de cafeína e teobromina, estimulantes natos. “Esses dois elementos favorecem um estado de alerta e aumentam a energia, o que intensifica a resistência física e mental”, esclarece a nutricionista Renata Alves, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, em São Paulo.

– Combate a obesidade
“O consumo do guaraná aumenta o gasto calórico diário”, lembra Ivana da Cruz. Ele ainda diminui o apetite, por manter estáveis os níveis de glicose no sangue.

– Dilata os vasos
Teobromina, teofilina e cafeína expandem os tubos sanguíneos, o que ajuda no suprimento de oxigênio e nutrientes para todo o corpo. Com isso, a pressão fica nos eixos. “O trio retarda a formação de placas de gordura, que diminui a passagem do líquido vermelho”, aponta Renata.

– Previne o câncer
O guaraná freia tumores e impede sua proliferação. “Ele poderia ser usado no tratamento de alguns tipos de câncer, mas também atua como preventivo da doença”, descreve o médico veterinário Heidge Fukumasu, professor da Universidade de São Paulo, em Pirassununga, no interior do estado, que pesquisou seus efeitos contra tumores em ratos.

– Afrodisíaco
Por expandir o calibre dos vasos, mais sangue chega à região genital, facilitando a ereção. A quantidade e a qualidade do sêmen também aumentam, o que garante uma vida sexual ativa por muito mais tempo.

Formas de consumo disponíveis em todo o Brasil

– Em Cápsula
A grande vantagem aqui é não variar a quantidade diária de ingestão.

– Bastão de Guaraná
Esse formato é bastante comum na Região Norte. Para ingeri-lo, é necessário ralar.

– Pó
É a fórmula mais encontrada no resto do país. Guarde-o em recipientes escuros para evitar a luz e a consequente oxidação.

Dica: Você pode acrescentar uma colherzinha de guaraná ao suco de frutas do café da manhã.

Que beleza!
Virou moda: muitos cosméticos contam com o guaraná em sua fórmula. E os benefícios dessa estrela amazônica são sentidos na pele. “O extrato de guaraná é um agente estimulador da circulação periférica”, explica o farmacêutico Emiro Khuri, diretor técnico da Associação Brasileira de Cosmetologia. Ele inibe a produção dos radicais livres, que danificam as células saudáveis da epiderme.

A lenda indígena
Os índios já conheciam, há séculos, as propriedades do fruto:
Na tribo dos maués, vivia um lindo casal que, um dia, resolveu pedir ao deus Tupã a bênção de um primogênito. A vontade dos enamorados foi realizada: em pouco tempo, nasceu um lindo menino que virou o orgulho de todos. O demônio Jurupari, um espírito do mal, ficou incomodado com toda a alegria dos maués e se travestiu de cobra peçonhenta para, num momento de distração, matar o guri. Em meio ao desespero da tribo, a mãe da criança recebeu um recado de Tupã: eles deveriam retirar os olhos do pequeno e enterrá-los em terra boa. Passado algum tempo, no local onde estavam as córneas brotou o primeiro guaranazeiro. Seu fruto era idêntico aos olhos do garoto protegido. A tribo viveu feliz e o guaraná deu força aos jovens e vigor aos velhos.

Posted in Uncategorized.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>